Rua José Bonifácio, 663 - Sala 202 | Olaria | Cep 76.801-230 | Porto Velho - RO
Seg-Sex: 08:00 - 12:00-14:00 - 18:00

Vitrectomia posterior consiste na remoção do vítreo (gel transparente
que preenche o olho), devendo ser realizada somente por um
especialista em retina cirúrgica.
Pode ser feita em clínica ou em hospital, sob anestesia local ou geral.
Realizamos exclusivamente a vitrectomia 23 ou 25 gauge,
considerada mais segura e eficiente, além de menos traumática.
O procedimento leva, em média, de 1 a 2 horas, podendo ser
associada a demais procedimentos, tais como: retinopexia com
introflexão escleral (descrita a seguir), infusão de perfluorcarbono
(líquido denso que auxilia no reposicionamento da retina), endolaser
(laser de diiodo verde aplicado internamente), implante de óleo de
silicone ou de gás expansor (depende de cada caso, e serve para
preencher a cavidade vítrea, após remoção do humor vítreo).
Indicada para o tratamento de doenças do fundo olho, entre elas:
Descolamento de retina, Retinopatia diabética, Buraco Macular,
Membrana Epirretiniana, Complicações da cirurgia de catarata ou de
transplante de córnea, Trauma, Uveítes.

Pós-operatório das cirurgias vitreorretinianas:

O paciente deve permanecer em repouso por 1-2 semanas e retornar
às atividades físicas após 45-60 dias.
O curativo deve ser removido no dia seguinte e o paciente deve usar
colírios por 6-8 semanas.
Os pacientes que tiveram gás ou ar implantados nos olhos não

poderão viajar de avião ou para lugares com grande diferença de
altitude, até segunda orientação.
A visão geralmente melhora após algumas semanas do procedimento,
mas pode levar meses até o resultado final. A principal complicação é
o descolamento de retina primário ou recorrente. Nesse caso, os
pacientes devem ser reoperados.